Especialistas

Palestrante principal

  • Major Pricilla de Oliveira Azevedo (Brasil). A Sra. Azevedo é Policial Militar e atualmente trabalha como Coordenadora de Programas Estratégicos das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), do conhecido programa de pacificação de favelas, da Secretaria de Estado de Segurança do Rio de Janeiro (SESEG). Em 2007, demonstrou extrema coragem e compromisso com suas responsabilidades ao prender uma quadrilha de bandidos que a havia sequestrado. Entre 2008 e 2010, conseguiu eliminar as operações de venda de drogas na favela Santa Marta, criou modelos de mediação de conflitos, trabalhou com instituições governamentais estaduais e municipais para melhorar o serviço de saúde e de coleta de lixo, aumentou as oportunidades de formação técnica e educacional e desenvolveu uma bem-sucedida feira de artesanato na comunidade. Em 2012 recebeu do Departamento de Estado dos EUA o Prêmio Internacional para as Mulheres de Coragem.

 

Temas

GT1. Estado de direito fraco: uma ameaça para a segurança cidadã

  • Marco Antonio Castillo (Guatemala). Bacharel em Pedagogia, Mestre em Educação Curricular e pós-graduado em Alteridade e Educação. Desde o inicio da sua carreira profissional, trabalha no campo da Educação Popular, o Currículo Educativo e a Pesquisa Social. Desenvolve pesquisa-ação em temas de construção de Paz Urbana, Mediação, Resolução e Transformação de Conflitos em comunidades em disputa. Em 2010, recebeu o prêmio Today's Peacemakers do American Friends Service Committee pelo trabalho desenvolvido durante 19 anos com populações em disputa e alta conflitividade.

 

  • Howard N. Fenton (Estados Unidos). O Sr. Fenton é professor de Direito e Diretor fundador do Mestrado em Direito em Governabilidade Democrática e Estado de Direito da Ohio Northern University. Recebeu a licenciatura e Juris Doctor com honras na Universidade de Texas. Exerceu direito comercial internacional em Washington, DC durante nove anos antes de se tornar professor de direito em 1984. É professor de Direito Público e Processo Legal, Direito Administrativo Comparado e do Seminário de Estado de Direito. É consultor ativo em reforma legislativa administrativa para USAID, e participou em sete painéis de resolução de controvérsias no marco do Acordo de Livre Comércio da América do Norte.

 

GT2. Impacto da crise econômica global nas Américas

  • Laura Gómez-Mera (Argentina). Doutora em Política e Relações Internacionais pela Universidade de Oxford e Mestre em Economia Política Internacional pela London School of Economics. Foi professora visitante no Instituto de Estudos Latino-Americanos da Universidade de Columbia (2004-2005). Ministrou aulas no Metropolitan College de Nova York e na Universidade Nova York, além de ter trabalhado como consultora para o Banco Mundial e para o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento no Sul da Ásia. A sua pesquisa inclui acordos comerciais regionais, política de conflitos comerciais e relações internacionais de países em desenvolvimento, com especial referência à política econômica exterior de decisões na América Latina.

 

  • Ottón Solís Fallas (Costa Rica). Economista graduado pelas universidades de Costa Rica e Manchester (Reino Unido). Deu aulas nas universidades de Manchester e Reading, ambas no Reino Unido, e em várias universidades costarriquenhas. Foi professor convidado nas Universidades da Flórida e Notre Dame, nos Estados Unidos. Publicou artigos acadêmicos e centenas de artigos de opinião. Foi Ministro do Planejamento e Política Econômica, deputado e membro da Junta Diretora do Banco Central. É cofundador do Partido Ação Cidadã, o que se transformou em uma segunda força política da Costa Rica. Foi candidato presidencial três vezes, ficando em segundo lugar em duas oportunidades.

 

GT3. Mudança climática e meio ambiente

  • Michelle Michot Foss (Estados Unidos). Formada na Universidade de Louisiana-Lafayette, na Colorado School of Mines e na Universidade de Houston. Mais de 30 anos de experiência em petróleo, gás, GNL, cenários e perspectivas energéticas. Assessora dos EUA e várias companhias internacionais energéticas. Desenvolveu e dirigiu projetos privados, do Banco Mundial, do USAID e do Departamento de Energia dos EUA. É instrutora executiva na UT McCombs School of Business. Foi Sócia Sênior da USAEE (2006), Mulher destacada em Energia-Américas (2003), membro do Conselho Científico do 50º Aniversário da Enciclopédia Comemorativa de Hidrocarbonetos ENI (2003), Presidente da IAEE (2003) e Presidente da USAEE (2001), entre outras funções.

 

  • Margarita Astrálaga (Colômbia). Bióloga, especialista em gestão ambiental pelo Instituto de Água Dinamarquês, tem um Mestrado em Planejamento e Desenvolvimento Regional. Com mais de 25 anos de experiência no setor de meio ambiente e desenvolvimento sustentável, já assumiu diversas responsabilidades, tanto no plano nacional como internacional. Entre outros, trabalhou no Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente em Nairóbi, Quênia, no Programa de Oceanos e Zonas Costeiras da América Latina e do Caribe (1988), foi responsável pela Unidade de Treinamento da Secretaria da Convenção de Comércio sobre Espécies em Perigo de Extinção (CITES) (1994-1997), foi consultora do Banco Mundial e do Banco Interamericano de Desenvolvimento em fortalecimento institucional do Ministério do Meio Ambiente e projetando uma estratégia de biodiversidade para a Patagônia, foi assessora sênior das Américas da Secretaria da Convenção de Ramsar sobre Pântanos (1999). Até abril de 2010, foi Diretora do Centro de Cooperação do Mediterrâneo da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) na Espanha, e atualmente trabalha para o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) como Diretora no Escritório Regional para a América Latina e o Caribe.

 

Grupo de Mulheres Parlamentares: Reunião 08. Crise financeira e os efeitos nas mulheres da região

  • Mayra Buvinic (Chile). Doutora em psicologia social pela Universidade de Wisconsin - Madison. No Banco Mundial dirigiu o Plano de Ação Gênero (quatro anos, 70 milhões de dólares) posicionando a igualdade de gênero como "economia rentável" e incluindo uma iniciativa para adolescentes, e promoveu o gênero como prioridade nos empréstimos aos países pobres. Como chefe da Divisão de Desenvolvimento Social do BID, deu forma ao trabalho do Banco na prevenção da violência, coordenou a Estratégia de Desenvolvimento Social do Banco e lançou o seu fundo de inclusão social. Como membro-fundador (e Presidente durante 19 anos) do Centro Internacional de Pesquisa sobre a Mulher, construiu um centro de renome internacional comprometido a melhorar a condição das mulheres pobres nos países em desenvolvimento.